Iná do nosso apê.

December 22, 2017

Hoje vamos conhecer o cantinho  da Iná, criativa por trás do blog Nosso Apê. O "Nosso Apê" nasceu quando ela se mudou para o próprio canto, um apê de apenas 20 m² e no processo da decoração do apê ela percebeu a importância que a criatividade sempre teve em seu dia a dia.

Há três anos ela produz conteúdo criativo para o Nosso Apê, e hoje empreende através do blog e oferece diversas oficinas criativas trabalhando com cordas e estamparia artesanal.

 

Você pode acompanha-la clicando aqui no blog, e aqui no instagram, onde ela compartilha inspirações e ideias pra você usar e abusar da criatividade pra deixar seu cantinho lindo.

 

 O apê da Iná tem uma decoração leve, com base mais neutra e uma pegada bem orgânica e natural. É um ambiente que transmite leveza e aconchego. As texturas naturais junto das referências afetivas e artesanais contribuem pra essa sensação.

 

                                                        (Iná no seu canto de trabalho, Tem um @meupitu aí na foto. Conseguem achar?)

 

Ela contou pra gente que quando ela se mudou a grana estava curta mas a vontade de criar um espaço do jeitinho dela era grande:

 

"Dentro de todas as limitações de um apartamento alugado, sempre tive a certeza de que eu colocaria a mão na massa para transformá-lo no meu refúgio. Sempre acreditei, e no processo de decorar o apê tive ainda mais certeza, que o nosso lar é uma extensão de nós mesmos. As nossas próprias transformações se traduzem no ambiente, e vice-versa. Por isso considero a decoração tão importante!"

 

Quando perguntei qual foi o maior desafio em deixar os 40 metros quadrados com a cara dela, ela lembrou algo muito importante: "Não basta o apê ser só lindo, ele tem que nos atender a nossa rotina e as nossas necessidades diárias." 

 

Quando conheci a história da Iná, e do seu apê de na época 20 metros quadrados, pensei em todas as coisas que eu tenho. Todas as tralhas, objetos de lembrança, materiais de trabalho e algumas coisinhas que não vivo sem. Como isso caberia em 20m²?

Perguntei se ela sente que teve que abrir mão de alguma coisa e ela me fez repensar essa questão:

 

"Eu não sinto que me falta nada ou que eu tenho menos do que eu gostaria de ter porque eu não tenho espaço. Pelo contrário, eu me sinto muito melhor de ter poucas coisas e a consciência de que eu definitivamente não precisava de metade das coisas que eu tinha antes. Acho que eu posso dizer que um apartamento pequeno funciona como um regulador dos excessos e desperdícios, porque de certa forma te “força” a repensar tudo o que você já tem e tudo o que você pretende adquirir. Você precisa assumir um consumo mais responsável pra conseguir viver bem e de forma saudável em um espaço pequeno. E os benefícios dessa nova forma de consumir e de se relacionar com o espaço são incríveis."

 

A Iná assim como a gente aqui do Meu Pitu, trabalha em casa. E abordou dois pontos importantíssimos:

- Criar um espaço definido para o trabalho: Um cômodo, um canto, organizado para atender as necessidades do trabalho,

- Saber ignorar as demandas da casa. Muita coisa dentro de casa tira o nosso foco. É preciso deixar de lado e manter o foco no trabalho.

 

 

Além de gerar e criar conteúdo para o blog, a Iná também oferece oficinas maravilhosas de criação de objetos singulares feitos á mão que você pode dar uma olhada aqui em baixo. 

 

"Criar e compartilhar são coisas que eu descobri que são fundamentais para mim e estão totalmente alinhadas com o meu propósito e com o que eu quero oferecer pro mundo. Além de criar com as minhas próprias mãos, eu quero levar esse resgate das manualidades e um viver mais criativo para a vida das pessoas. As oficinas criativas são uma oportunidade de trocar pessoalmente com pessoas que querem desenvolver a sua criatividade. Esse é um trabalho que eu desenvolvo com muito amor e gratidão."

 

 

 

 

Meu Pitu e eu estamos acostumados com a rotina um do outro. Afinal trabalhamos em casa gerando o mesmo negócio. Trabalhamos juntos e entendemos todas essas questões, como os horários loucos, as horas extras todos os dias e a bagunça que pode acontecer dentro de casa.

Quando encontrei Iná, estava procurando casais que pudessem contar a sua história através da construção do novo lar. Mas Iná logo disse: "ó, não trabalho com meu parceiro. Geramos a montagem do lar juntos, mas trabalho sozinha em casa, ele trabalha fora."

 

"Enquanto eu percorro o caminho do empreendedorismo criativo, o Robson (meu namorado) tem um emprego formal com horário fixo. Esse é um grande desafio pra gente porque, pra ele, o meu volume de trabalho e meus horários são muito loucos (afinal empreender é maravilhoso mas também é MUITO trabalhoso). Também não existe pra mim a distinção entre dias de semana e finais de semana, eu acabo trabalhando todos os dias. Muitas vezes nos horários que ele tem livre, eu estou trabalhando, ou vice-versa. Esse é o nosso maior desafio diário, com o qual a gente lida da única forma que eu acho possível: com amor e companheirismo. Reconhecendo o sonho do outro, apoiando e ajudando na sua construção."

 

Trabalhando junto ou não, a resposta é entender com amor e companheirismo. Eu e Mica demoramos a entender que temos horários diferentes. Ele age de manhã, resolve tudo cedo. Eu já demoro a pegar no tranco, e adoro trabalhar de madrugada. Acaba que trabalhamos somente a tarde juntos. Mas conseguimos fazer tudo dar certo. Tudo fluir conforme a necessidade.

 

Sobre empreender, fazer o que se ama e encontrar o seu caminho Iná deixou uma mensagem:

 

"Empreender criativamente é uma maravilha. Poder trabalhar com o que se ama, construir o nosso sonho. Mas também é cheio de desafios. Quem empreende sabe que é muita satisfação mas também é muito trabalho!Antes de reconhecer que o meu propósito estava totalmente ligado à criatividade, eu percorri outro caminho. Me formei oceanágrafa, fiz mestrado na área e percorria uma carreira acadêmica com o sentimento de que alguma coisa estava errada. Mas demorei pra aceitar por conta do velho medo de mudar e de errar. Quando finalmente decidi aceitar a mudança e começar a me dedicar à criatividade, parece que tudo fez sentido! Isso foi há 3 anos atrás, e foi a minha mudança pro pequeno apê de 20 m² que me ajudou a enxergar todo esse processo. Eu gosto de compartilhar essa parte da minha história porque não devemos ter medo de correr atrás daquilo que realmente nos faça feliz, que preencha, que nos coloque no caminho da nossa realização. Nunca é tarde pra fazer aquilo que se ama."

 

 

 

Querida, muito obrigada por compartilhar sua história com a gente! Ficamos felizes e realizados em contar sobre você e sua extensão de 40m². Muito sucesso pra ti. 

 

E vocês, vão lá...dá uma olhada no site lindo. Tem só coisa bonita: www.nossoape.com.br

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

                       Meu Pitu  © 2016 - todos os direitos reservados   

                                             CNPJ: 29.384.342/0001-34 | Varginha - MG | meupitu@gmail.com